segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Filmes mais esperados em 2014!

Oi gente! O ano está acabando e foi um ano incrível para mim. Fiz muitas coisas diferentes, aprendi muito e conheci muita gente bacana! Então terminarei esse ano com muitas comemorações e agradecimentos. 2014 já está quase ai e já espero muita coisa boa também! E nesse post pretendo colocar os 10 lançamento de 2014 que eu estou esperando ansiosamente para ver! 
  

2013 teve muitos filmes incríveis e 2014 não vai ficar para trás. Então vamos lá...

10. A menina que roubava livros (31/01/14)
Ele ficou por último na lista porque não li o livro e sei que tem um final triste e não gosto de finais tristes. Mas como é um livro muito conhecido estou curiosa para ver. 


9. Noé (04/04/14)
Vi o trailer essa semana e me chamou bastante atenção. Além dos efeitos especiais, o elenco é integrado por ótimos atores e é dirigido por Darren Aronofsky, mesmo diretor de Cisne Negro.
 
8. Malévola (30/05/2014)
A Bela Adormecida sempre foi a princesa que me chamou menos atenção, porém essa nova versão da história onde a bruxa má (Malévola, interpretada por Angelina Jolie) é a evidenciada parece que vai ser muito boa. 



7. Transformers - A Era da Extinção (25/07/2014)
Apesar de achar que não tem mais história pra contar, é por isso mesmo que estou curiosa. Quero saber que história eles vão inventar dessa vez. Gostei bastante do primeiro filme e gosto de filmes de ação, vamos ver o que sai desse novo filme da franquia.  
 Ainda não saiu o trailer :(

6. Capitão América 2 - O Soldado Invernal (11/04/2014)
Eu adoro super heróis? Sim! Eu adoro a Marvel? Sim! O Capitão América não é o meu preferido, mas quem se importa? Ainda sim  é um herói da Marvel e estou louca pra ver!



5. Robocop (21/02/2014)
É uma readaptação do filme de 1987. Além de eu achar a ideia da história incrível o diretor do filme é o nosso brasileiríssimo José Padilha, diretor de Tropa de Elite e Tropa de Elite 2. Adoro ver brasileiros se dando tão bem nesse ramo! Estou muito ansiosa por esse filme. 



4. Divergente (18/04/2014)
Vi o trailer desse filme e saí correndo para ler o livro logo, antes que o filme estreasse. Agora já li o segundo da série também e preciso esperar mais quatro meses para poder ver a adaptação do Best Seller da Veronica Roth no cinema! Ai socorro, falta muito ainda!  



3. O Espetacular Homem Aranha 2 - A Ameaça de Electro (01/05/2014)
Então chegou meu super herói favorito da Marvel! Sempre fui apaixonada pela primeira versão de homem aranha e quando anunciaram essa nova fiquei com um pé atrás, porém conseguiram fazer um filme incrível e não espero menos desse segundo! Shipo muito Peter com Gwen!!!



2. X- Men: Dias de Um Futuro Esquecido (23/05/2014)
Meu grupo de super heróis preferido (ok, eles ficam pau a pau com o homem aranha). Não acreditei quando vi que eles vão misturar a versão deles no passado com a do futuro! Pelamordejesus tenho que ver esse filme! 



1. Jogos Vorazes - A Esperança: Parte 1 (14/11/2014) 
A série distópica mais famosa e querida não podia faltar na lista! Principalmente depois da incrível adaptação do segundo filme. A Esperança Parte 1 e 2 prometem estar tão bem produzidas como Em Chamas! Infelizmente ainda não têm nenhum trailer ou teaser oficial do filme! Vamos ter que esperar :( Aguenta coração.


Eu amo ação, ficção e super heróis. Acho que nem deu pra notar, não é? hahaha Mas estão ai meus 10 filmes mais esperados de 2014! 

E vocês? Quais filmes querem ver? Algum que não está na lista? Comentem! Vou adorar descobrir outros filmes! 

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Resenha - Métrica

Editora: Galera Record
Autor: Colleen Hoover
Adicione: SKOOB
Estou com este livro na minha lista já tem um tempo, mas sabe quando você coloca na lista e não lembra o porquê, mas ele continua lá? Então há duas semanas o comprei, mas enrolei um pouco. E quando comecei a ler a primeira coisa que veio na minha cabeça foi: Como ainda não tinha lido esse livro!?

Métrica é o primeiro livro da trilogia de Colleen Hoover, publicado pela Galera Record, e é emocionante e repleto de poesia.

Layken, muito abalada pela morte repentina de seu pai há seis meses, que era o seu herói, tem que se mudar com a mãe e o irmão para o Michigan, graças a difícil situação financeira em que se encontram. Logo quando chegam seu irmão Kel, de 9 anos, faz amizade com o irmão do vizinho. Quando ela conhece o vizinho, Will Cooper sente uma grande conexão. Will faz com que Lake veja o mundo de uma nova maneira, um mundo cheio de poesia. 

A autora nos mergulha no mundo do Slam Poetry (Poesia e Performance), onde as pessoas sobem no palco e competem declamando suas poesias de forma intensa que nos deixa sem fôlego. O livro nos faz ver uma nova maneira de fazer poesia, e mesmo eu que não sou muito chegada à poesia gostei. O segundo livro “Pausa” já foi lançado no Brasil, ainda não li, mas estou muito curiosa.


Quando vi a resenha desse livro em um blog, tinha uns vídeos mostrando como é o Slam Poetry, e adorei ver. Aqui segue um dos vídeos: 


-Juliana Chagas.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Resenha - Anna e o Beijo Francês

Uma delícia e parece uma história real! Amei. Amei. Amei. 
Editora: Novo Conceito
Autor: Stephanie Perkins
Adicione: SKOOB

Anna e o Beijo Francês já faz sucesso há algum tempo, mas só o comprei na Bienal do livro desse ano. 

O livro é um romance adolescente, porém nada clichê. Anna é uma adolescente cheia de dúvidas e esperanças, inclusive quando o assunto é amor. Ao ser mandada para um colégio interno contra sua vontade, Anna se vê longe dos amigos, do talvez futuro namorado e da família. 

Entretanto não pense que a vida dela é um castigo, seu novo colégio fica em Paris! "A cidade luz! A cidade mais romântica do mundo!". Lá ela faz novos amigos, entre eles Étienne St. Clair, um garoto bonito e carismático, e desde o início ela sente atração por ele. Porém ele tem namorada e uma amiga também gosta dele. 

Com todos esses empecilhos entre ela e o atraente americano, meio francês, que cresceu em Londres St. Clair, eles acabam não ficando juntos logo de cara. Na verdade eles demoram bastante para enfim ficarem juntos, muitos conflitos acontecem primeiro. Em todo o decorrer da história acompanhamos tudo pela visão da Anna e junto com ela vivemos os mal entendidos, decisões erradas, brigas, e todas as frustrações adolescentes. Acabei me identificando um pouco com a Anna. hehe

Todos os personagens são únicos e espirituosos, cada um com sua personalidade bem definida, o que tornou a história mais verossímil e apaixonante! 

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Resenha - O Outro Lado da Memória

Autor: Beatriz Cortes
Editora: Novos Talentos
Adicione: SKOOB
No livro da Beatriz Cortes acompanhamos a vida e os pensamentos da Luíza, uma adolescente de dezoito anos que enfrenta os fantasmas de um passado não muito distante. Abalada com o trauma que viveu, a jovem bloqueia seus sentimos, cria uma barreira contra eles. Dizia a si mesma que não se iludiria com outro garoto novamente.

Porém um novo aluno aparece no colégio, Arthur Campos, e as coisas começam a mudar. No início Luíza o trata mal, pois achava que ele era só mais um idiota capitão do time de basquete. Por outro lado, ele não fazia ideia do por que ela agia assim com ele. Então um mal entendido acontece e os dois pegam detenção, ou seja, teriam que passar 1 hora a mais no colégio, juntos três vezes por semana por algumas semanas. Arthur aproveita o tempo para tentar mudar a impressão que Luíza tinha dele. E funcionou!

Enquanto um problema dela se resolvia (não estava de detenção com um idiota afinal), outro muito maior apareceu, ou melhor, reapareceu. Lucas, o causador de seus pesadelos estava de volta ao colégio. 

Beatriz conseguiu fazer a narrativa me prender do início ao fim. Comecei a ler o livro às 18h e só parei quando terminei às 1h da manhã! A mistura do drama com o romance foi bem equilibrada, mas fiquei um pouco preocupada com a última parte  (quando eles olham o álbum de fotos); acho que não precisava desse último detalhe (não vou especificar porque é spoiler).

Fiquei apaixonada por Arthur (mais um personagem pelo qual me apaixono hahaha). Ele me fez acreditar em príncipe encantado de novo! Talvez ele seja ainda melhor, como a própria Luíza tratou em dizer: 
"- Acho que o príncipe encantado perdeu pra você...

Os autores brasileiros estão arrasando! Mais um livro nacional que eu indico!






terça-feira, 19 de novembro de 2013

ESPECIAL: Em Chamas


O filme mais esperado do ano chegou pra causar ainda mais estragos! Ainda estou me recuperando! POR QUE TÃO PERFEITO? Fãs ou não da série, todos temos que concordar que a produção foi impecável. E para quem é fã dos livros sabe como essa adaptação foi fiel ao original! Toda vez que eu pensava "Será que eles vão fazer tal parte igual? Será que vão colocar aquilo?" estava lá, colocaram tudo, todos os detalhes! Ok, faltou o relógio do Plutarch e teve um beijo a mais, mas que não fez muita diferença para história! 


E o que falar desse personagem que no instante em que apareceu roubou a cena? Finnick foi interpretado por Sam Claflin e nos deixou babando com aquela declaração de amor. Sam foi impecável no personagem assim como Jena Malone que foi a perfeita Johanna Mason, exatamente como eu pensei! Até a parte do elevador eles fizeram! (Parte da qual eu vergonhosamente tinha esquecido que tinha). Meu parabéns para Jena também!  


E como nossa Suzanne Collins fez o mesmo colégio que J. K. Rowling, George R. R Martin, entre outros, nossos personagens sofrem muito! E muitos morrem antes do fim de toda a aventura, fazendo a gente ter vontade de chorar quando acontece algo assim com personagens que gostamos!  RIP Rue. 




Gostei de como eles conseguiram mostrar como alguns personagens ganharam mais importância, nenhum ficou em segundo plano. Vimos como a irmã da Katniss amadureceu,  mostrou também como a Effie se importava com eles, como ela não era só uma marionete da capital. Enfim... Amei amei amei! 
Muitos aplausos para o diretor Francis Lawrence por transformar toda minha imaginação em cenas de um filme. E por último, mas não menos importante (são mais importante que todos na verdade, me desculpem os outros), tenho que dar o devido crédito aos meus queridinhos Josh e Jennifer, mas sem esquecer do Liam rs, não consigo imaginar outros Peeta, Gale e Katniss! 

E se você depois desse filme (até mesmo antes) ainda torce ou torcia pelo casal katniss e Gale, faz um favor??? SE JOGA!



 Peeta e Kat são perfeitos juntos, sempre torci por eles! 

E vocês, o que acharam do filme? 



quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Resenha - A Arma Escarlate

Autor: Renata Ventura
Editora: Novo Século
Adicione: SKOOB
Essa resenha eu demorei mais a fazer porque foi um pouco complicado assimilar meus sentimentos com relação ao livro. Vou explicar!

O livro é baseado na história de Harry Potter da incrível J. K. Rowling. Na verdade as duas histórias acontecem em paralelo. A autora brasileira se perguntou: Como seria uma escola de bruxaria no Brasil? E assim começou a dar vida aos bruxos brasileiros.

Entre eles há nosso personagem principal Idá Aláàfin, que nasceu de dois Azêmolas (também conhecidos como mequetrefes ou trouxas) e cresceu na favela Santa Marta. Aos 13 anos, no meio de um tiroteio, recebe uma carta revelando que ele é um bruxo e a partir daí descobre um novo mundo.

“Sr. Idá Aláàfin Abiodum
Mui respeitosamente, venho convidá-lo a se unir ao corpo discente da excelentíssima escola bruxaria Notre Dame do Korkovado. (...)” *

Mas não se preocupem o livro não é uma cópia de Harry Potter (estava com medo que fosse antes de começar a ler). A Arma Escarlate consegue ser original apesar de ser baseado em uma fantasia já criada e que já está fixada em nossas mentes.  Renata Ventura traz uma escola de bruxaria nos padrões brasileiros, com a nossa cultura e folclore.

Hugo Escarlate – novo nome de Idá – é o oposto daqueles personagens bonzinhos que pensam sempre nos outros antes de si mesmo. Ele é teimoso, irresponsável e não aceita levar aforo pra casa. Mesmo assim ele faz amizade com os pixies (os personagens mais legais!). E com a ajuda deles consegue resolver muitos de seus problemas. Como por exemplo, lidar com o chefe do tráfico do morro Dona Marta que ameaça ele e sua mãe constantemente.

Entretanto, as soluções para os problemas só aparecem depois de ele fazer muita besteira, muita mesmo! É tanta burrada que acabei ficando com raiva dele em certo momento da história. E gostei disso (depois)! Ficar com raiva do principal é algo diferente do que estou acostumada.

Uma das coisas que gostei muito foram as sutis referências aos acontecimentos no Reino Unido, como a morte de Dumbledore, Voldemort tentando dominar a Europa, até sobre a própria J.K. Rowling.

Para os fãs de Harry Potter aconselho se desligar um pouco da narrativa da britânica; o livro da Renata também é uma aventura e também tem mistério, porém em um ritmo diferente. Comecei a ler esperando a mesma cadência da Rowling, para só depois perceber que a autora criou um ritmo próprio na narrativa. E isso não é ruim, apenas diferente!

Por último, parabenizo a Renata Ventura por seu incrível talento e coragem, por se aventurar nessa literatura que muitos de nós amamos! Particularmente, achei a ideia genial! 

Trecho do livro.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Resenha - Fallen

Autor: Lauren Kate
Editora: Galera Record
Adicione: SKOOB
Conheço o livro há bastante tempo, mas só me interessei por ele esses dias. Além do próprio sucesso da série Fallen, uma amiga que é fã da série ficou falando bem dele. Ou seja, minhas expectativas cresceram e tive que ler. E estas, infelizmente, não foram superadas. 


Lucinda, nossa personagem principal, não consegue lembrar como aconteceu o incêndio do qual saiu incólume mas matou seu quase namorado. Então é mandada para um reformatório por ordem judicial. Luce tem que lidar com o fato de estar praticamente em uma prisão com vários adolescentes problemáticos. Porém esse é o menor de seus problemas, pois a jovem enfrenta as sombras. Ela não sabe o que são, mas as manchas pretas sem forma a perseguem desde pequena.  



No reformatório Luce conhece Cam, um jovem bonito e atraente, e Daniel Grigori tão bonito quanto Cam (ou mais). Enquanto o primeiro a trata bem e a faz se sentir especial, Daniel a ignora e as vezes é até rude ou debochado com ela. Apesar disso, ela sentia uma inexplicável atração pelo adolescente, não consegue para de pensar nele e em como ele é familiar. 



Na maior parte da história nós acompanhamos o sofrimento dela por estar presa em um reformatório e por ter que conviver com as sombras, além de todo o mistério que envolve o magnetizante Daniel Grigori. 



Achei que tudo que era importante no livro aconteceu ao mesmo tempo, como as revelações das identidades de alguns personagens ou até o próprio casal principal, que quase nunca ficam juntos e quando ficam a história já está acabando. Com isso tive a impressão que o final foi corrido, não teve tempo de sentirmos o "gosto da verdade". 



A parte boa do livro é o mistério sobre os acontecimentos estranhos na vida de Luce e sobre o próprio Daniel. Mas o livro deixa muita coisa sem resposta e parece que só serão respondidas nos próximos livros da sequência; o que faz a gente querer ler a continuação. Outro ponto positivo do livro é a escolha da capa, achei linda!



sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Resenha - O Duque e Eu

Autor: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Adicione: SKOOB
O Duque e Eu é o primeiro dos oito livros da série Os Bridgertons e conta a história de Simon Basset, o irresistível duque de Hastings. E também de Daphne Bridgerton, uma mulher inteligente e com uma personalidade forte, que é irmã mais nova do melhor amigo de Simon. 

O duque viveu por muitos anos anos fora de Londres e quando retorna é cobiçado por todas as jovens solteiras e principalmente pelas mães dessas jovens, que desejam mais que tudo um bom partido para suas queridas filhas. Porém ele prometeu a si mesmo nunca se casar.

Já Daphne, apesar das muitas qualidades, nunca conseguiu que um homem que não fosse "velho demais, pouco inteligente ou destituído de qualquer tipo de charme" ¹ a cortejasse. 

Ao conhecer a irmã mais nova de seu melhor amigo e o desejo dela pelo matrimônio, Simon propõe um acordo, os dois combinam um cortejo de mentira. Enquanto o duque finge estar interessado em Daphne as mães das jovens solteiras da sociedade o deixariam em paz. Por outro lado, Daphne teria mais pretendentes, pois perceberiam que a jovem deve ter sim algo muito especial se até o duque se interessou por ela.

Os dois conseguem alcançar seus objetivos com a mentira, porém a jovem Bridgerton começa a perceber que o homem que ela deseja é aquele que prometeu nunca se casar, aquele que o cortejo era uma grande farsa. 

Eu imaginava que este romance seria só mais um chick-lit água com açúcar. Não esperava o drama trazido por um homem com um trauma de infância e uma jovem até que moderna para época. 

Julia Quinn tem muita sensibilidade em colocar a interação emocional entre os personagens. Apresenta com facilidade e inteligência a complexidade dos sentimentos humano, como o ciúme de irmãos mais velhos, a paixão e sofrimento de um homem e o amor de uma jovem, capaz de curar feridas. 
Recomendo o livro!* 


* Não recomendo para menores de 15 anos, por ter algumas cenas explícitas. (Sou a favor da faixa etária definida nos livros!)

¹ Trecho retirado da sinopse do livro.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Resenha - Divergente


Editora: Rocco
Autora: Veronica Roth
Adicione: SKOOB
As distopias estão em alta!
Descobri Divergente em uma livraria perto do meu trabalho. Estava procurando livros novos de ficção quando reparei nele. Li a sinopse e lembro de ter pensado “interessante, mas não vou comprar não”. Tolinha eu.

Então em um dos vídeos da Garota It descobri que Divergente teria uma versão para o cinema, com lançamento previsto para início de 2014. Quando vi o trailer fiquei mais interessada pelo livro. Não sei vocês, mas eu sou daquelas que precisam ler o livro antes de ver o filme. Então coloquei o romance da Veronica Roth entre os primeiros da minha wishlist Bienal.

A história é ambientada no futuro, após uma guerra a sociedade se dividiu em 5 facções, cada uma com um ideal específico a seguir.

“Aqueles que culparam a agressividade formaram a Amizade.”
“Aqueles que culparam a ignorância se tornaram Erudição.”
“Aqueles que culparam a duplicidade fundaram a Franqueza.”
“Aqueles que culparam o egoísmo geraram a Abnegação.”
“E aqueles que culparam a covardia se juntaram à Audácia.”

Ao completarem dezesseis anos os adolescentes devem passar por um teste de compatibilidade, onde descobrem em qual das cinco facções têm vocação para viver. Depois escolhem se continuam naquela em que nasceram ou se cortam laços com a família e seguem a que se identificam.

Para Beatrice a escolha é ainda mais difícil, pois descobre que é Divergente – pessoa que é compatível com mais de uma facção. Além de ter que tomar a decisão que mudará sua vida para sempre Tris (o novo nome que a menina escolheu) descobre que ser divergente é muito perigoso e, para sua própria proteção, deve esconder o que realmente é.

O livro me surpreendeu, tem ação do início ao fim. É tanta ação que no início eu estranhei algumas coisas – como os alunos da audácia tendo que subir e descer de um trem em movimento todos os dias para chegarem ao colégio (what?). Mas com o tempo a estranheza com certas coisas passaram e comecei a me acostumar com aquele universo, assim como a personagem.

Já esperava um romance por causa do trailer do filme. E tem, uma dose pequena porém suficiente para fazer a gente se encantar e torcer pelo casal.

E apesar de alguns compararem com Jogos Vorazes não vi grandes semelhanças, além dos dois terem personagens principais fortes e serem uma distopia. Ele está entre meus favoritos e super recomendo!

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

FILME: Os Suspeitos

O filme já foi aclamado como um dos melhores suspenses do ano. E com total razão. Há muito tempo não ficava tão tensa na frente da telona. Há muito tempo não saía tão atordoada de uma sala de cinema, fazendo inúmeros elogios e discutindo cada detalhe com os amigos.

O elenco conta com o eterno Wolverine, Hugh Jackman, a genial Viola Davis e a atuação impecável de Jake Gyllenhaal. A história se passa em Boston, onde vivem duas famílias amigas. Keller Dover (Hugh) é casado com Grace e tem um casal de filhos. Já Franklin, é casado com Nancy (Viola) e tem duas meninas. Tirando os pequenos atritos do dia-a-dia aos quais toda família está sujeita, tudo ia perfeitamente bem na vida deles. Até o dia em que Anna e Joy, as filhas mais novas de ambos os casais, desaparecem misteriosamente. As famílias recorrem à polícia, mas, sem nenhuma grande pista, fica difícil saber o que realmente aconteceu. Acreditando que o detetive responsável pelo caso (Jake) não está muito empenhado em solucionar o mistério, Keller decide fazer uma investigação por conta própria e acaba sequestrando aquele que acredita ser o principal suspeito. Convicto de que o tal rapaz é o verdadeiro sequestrador, apesar de a polícia o ter libertado, Keller o tortura, cada vez mais desesperado em sua busca pela verdade. Mas às vezes enxergamos somente o que queremos e deixamos o essencial escapar. O enredo todo é baseado naquele eterno clichê de que ‘’nem tudo é o que parece’’. Ao longo da trama, diversos fatos novos vão surgindo e, a cada minuto que passa, parece que a verdade está mais longe de aparecer.

O filme prende sua atenção de forma inexplicável, toda a tensão e a vontade de descobrir quem foi o culpado fazem jus aos 146 minutos que acabam voando. Você pode até tentar desvendar o mistério, mas tenho certeza que vai chegar ao fim com pelo menos duas possibilidades. Acho que esse é o maior diferencial da história, não é previsível, você nunca sabe o que vai acontecer mesmo que preste muita atenção, você só vai conseguir ligar os fatos e chegar a uma resposta quando o filme estiver prestes a terminar, não tem jeito.

E aí, quer descobrir quem sequestrou as meninas? Corre pro cinema que ainda dá tempo!


-Luisa Barbosa.



sábado, 19 de outubro de 2013

Livro x Filme - Precisamos Falar Sobre o Kevin


 
A autora Lionel Shriver (sim, é mulher) não é muito conhecida por aqui, mas certamente você já ouviu falar de ‘’Precisamos falar sobre o Kevin’’.  Pois o livro é dela, virou um best-seller, ficou conhecido por tratar de um tema polêmico e acabou virando filme em 2011. A obra conta a história de Kevin Khatchadourian, um menino de 16 anos que mata nove pessoas da escola onde estudava no subúrbio de Nova York. Até aí parece uma história sem muito diferencial, apesar de tratar de um tema (infelizmente) muito comum nos Estados Unidos.
 Acontece que o livro é escrito de uma forma totalmente inusitada e quem passa a ganhar maior destaque é Eva, mãe de Kevin, que é a narradora. Ela faz uma espécie de retrospectiva de seus dias desde quando conheceu o marido até sua vida após, como ela mesma chama, a quinta-feira, sempre tentando enxergar o que havia de errado com o menino que seu marido tanto amava e descobrir se a culpa de tudo realmente era dela (como o tribunal decidiu após o julgamente de Kevin). Quando o filho nasceu, Eva abriu mão de tudo que mais amava no mundo: sua empresa bem sucedida, sua vida de viajante, a cidade grande e, de certa forma, seu marido. Mas tudo isso vai acontecendo aos poucos, o livro possui um tempo psicológico, Eva mistura passado e presente, buscando refletir sobre tudo por que passou e compreender melhor o que levou o filho a virar o autor de uma chacina.
Preciso confessar que a narrativa fica um pouco pesada por causa disso (pesada não quer dizer chata, de maneira alguma), o que faz a gente demorar um pouco pra pegar o ritmo do livro, mas aos poucos você se acostuma e não consegue mais largar.  O filme procura manter esse estilo do livro, indo ao passado e voltando, e eu achei ótima a tentativa de ser fiel à obra original, o problema é que acaba ficando um pouco confuso (se você não leu o livro, não recomendo que assista, porque é provável que não entenda muito bem). Além disso, quase não tem diálogo, isso faz ele ficar meio entediante. O clímax da história, a chacina, não tem praticamente nenhum destaque, outro ponto negativo.  E aquilo que sempre acontece com livros que viram filme: mudança de cenas, falas e acontecimentos. Bom, não dá pra negar, se você gosta de ler e gosta de um enredo mais sério, o livro vale mil vezes mais que o filme.
Pra você que gostou, vou deixar aqui embaixo minha crítica favorita, que foi a do jornal O Globo, e eu acho que traduz perfeitamente aquilo que eu senti enquanto lia (e espero que você também sinta): ‘’Um livro obrigatório por inúmeras razões; uma bofetada a cada página. Nunca gostei de apanhar, mas este livro de nocauteou e ainda terminei dizendo quero mais.’’

Ah, tem também o trailer do filme, pra quem ainda não viu:



-Luisa Barbosa.




quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Resenha Livro - A Seleção

Editora: Seguinte
Autora: Kiera Cass
Adicione: SKOOB
O livro se passa no futuro, em um novo país chamado Iléa, localizada onde atualmente conhecemos como Estados Unidos. O país após a quarta guerra mundial ressurge em regime de monarquia e dividido em castas que vão de 1 a 8 sendo a primeira a família real e a última os miseráveis. A seleção é o evento onde será escolhida a plebeia que terá a sorte de casar com o jovem príncipe que acabara de completar dezoito anos, a futura princesa de Iléa. 35 garotas entre 16 e 20 anos são Selecionadas para passar um tempo no palácio, elas vão conviver diariamente com a família real e ao final apenas uma será escolhida para se casar com o príncipe Maxon. A Seleção não tem um tempo exato de duração, ela pode durar semanas, meses ou anos. O príncipe tem todo o tempo do mundo para se decidir.
 America Singer - uma artista da casta Cinco - pensa bem diferente das demais concorrentes. Ela tem pavor só de imaginar em estar entre as Selecionadas, pois isso poderá mudar sua vida radicalmente. America se aflige mais ainda com a possibilidade de ter que esquecer Aspen por quem é apaixonada e que faz parte de uma casta inferior a ela. Desejar a coroa está longe dos seus planos, muito menos em ter que lidar com ameaças contínuas de ataques rebeldes ao palácio. Quando no palácio, America é bastante franca com o príncipe em relação aos seus sentimentos e propõe ser somente uma amiga. Porém ao conviver todos os dias com o jovem, ela começa a perceber e admirar suas qualidades. E aos poucos percebe que está apaixonada por ele.
Após algum tempo o número de garotas participando da seleção diminuiu e todos acham que Singer a favorita do príncipe, o que é verdade pois o príncipe está apaixonado por ela também. Entretanto algo que America não esperava acontece, Aspen é selecionado para ser soldado do palácio e a jovem se vê dividida entre suas duas paixões.
O livro de Kiera Cass tem uma narrativa simples, mas envolvente (eu devorei o livro em menos de um dia). Os personagens, em sua maioria, são cativantes. A ação é basicamente concentrada nos ataques de rebeldes contra o palácio, que ficam cada vez mais frequentes. Entretanto o forte do livro não é a ação, e tem menos intrigas do que o esperado para um castelo com 35 meninas “disputando” o mesmo homem, esperava mais atritos entre as candidatas. Porém há alguns mistérios que serão resolvidos ao longo dos próximos livros que dão sequência a trama. O livro é uma nova Cinderela onde não há somente o príncipe e a plebeia, há revoltas e um triângulo amoroso. 

domingo, 13 de outubro de 2013

Bienal do Livro Rio 2013

Eu sei que já faz mais de um mês que a Bienal aconteceu e como criei o blog depois disso, tinha desistido de falar sobre esse evento. Porém essa semana estava vendo as fotos que tirei lá e lembrando dos autores incríveis que eu conheci. Não resisti, tive que postar as fotos mesmo muito atrasado. rs 
Esse ano a Bienal foi mais especial pra mim pois fui no intuito de conhecer autores e livros nacionais. Não me arrependi. Cada autor mais simpático que o outro. Quando eu dizia que estava escrevendo um livro também me incentivavam e davam dicas! Amei! 


 A Bianca Carvalho e o Marcelo Paschoalin estavam em um mesmo estande com outros autores nacionais. Os dois, como muitos outros autores, enfrentaram dificuldades para publicar seus livros, problemas com editoras, etc. Então cada um resolveu criar sua própria editora para publicar suas obras. 



Bianca Carvalho 
Jardim da Escuridão - SKOOB
Versus Sombrios - SKOOB

Marcelo Paschoalin
Regência dos Ossos - SKOOB




















Renata Ventura 
A Arma Escarlate - SKOOB

Eu estava no estande da editora Novo Século quando fui abordada pela Renata: "Você conhece meu livro?". Sim, já tinha ouvido falar sobre A Arma Escarlate e estava muito curiosa para ler a história do bruxinho brasileiro. Mas tinha esquecido de procurar por ele na Bienal. Ainda bem quem esbarrei com a Renata por lá! o/

Os livros que eu não esqueci e, na verdade, foram os primeiros que comprei foram A Ilha dos Dissidentes e Sábado à Noite. Fui atrás deles no primeiro dia que fui à feira, conheci a Babi e a Bárbara e consegui meus livros autografados. :)


Babi Dewet
Sábado à Noite - SKOOB
Bárbara Morais
A ilha dos Dissidentes - SKOOB


No final do evento estava falida, com mais 15 livros na minha estante (dos quais metade são nacionais) e muito feliz. Vocês conhecem esse livros?



Livros: Melancia; O Lado Bom da Vida; Ouro, Fogo & Megabytes; Divergente; Contos de Meigan; Anna e o Beijo Francês; Perdida; A Arma Escarlate; Azar o Seu!; A garota que eu quero; A Ilha dos Dissidentes; O Teorema Katherine; O Duque e eu; Regência de Ossos; Sábado à Noite.  (*)

 Espero que tenham ido à Bienal e aproveitado tanto quanto eu! Se não foram, não percam a oportunidade de ir em 2015! 

(*) Jardim da escuridão e Versus Sombrios não estão na foto porque foi minha irmã que os comprou. 

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Resenha - Perdida

Editora: Verus
Autora: Carina Rissi
Páginas: 362
Adicione: SKOOB
O sucesso do momento tem nome: Carina Rissi, autora de Perdida e Procura-se um marino. Tenho que dizer que ela merece todo esse prestígio, não consegui comprar “Procura-se um marido” ainda (se alguém quiser me presentear eu aceito rs), entretanto Perdida agora está entre meus favoritos. 
Tenho que confessar (percebam que eu confesso muitas coisas nesse blog) que não conheço o livro há muito tempo. O descobri um pouco antes da Bienal através do SKOOB. Quase não o comprei, pois quando fui atrás dele, na Bienal, já tinha me afundado em dívidas por causa dos 14 livros que já tinha comprado. Porém o achei em um estante (não lembro qual) com um preço muito bom! Por que não? Já estava endividada mesmo, não é? Então o comprei!
Quando comecei a ler já sabia que era um romance com um pouco de sobrenatural. Adoro romance. Adoro sobrenatural. Oba! A expectativa estava grande e não me decepcionei!
A personagem principal é Sofia Alonzo , tem 24 anos e trabalha em um escritório entediante. Não é uma daquelas mulheres que acreditam em amor verdadeiro e sonha com casamento. Perdeu os pais em  um acidente de carro e a pessoa mais próxima a ela é sua melhor amiga Nina.
A confusão na vida de Sofia começa quando ela deixa o celular cair em uma privada, e como a maioria das pessoas do século XXI, não consegue viver sem ele. Sai na manhã seguinte para comprar outro. Primeiramente o celular novo não funciona, depois ela percebe que está em um lugar diferente. Na verdade, em um tempo diferente. 200 anos antes. Foi transportada pelo celular.
Fica PERDIDA naquela época, sem saber o que fazer ou como voltar. Entretanto Sofia têm a sorte de conhecer Ian, um jovem bonito, rico e calheiro, que a ajuda e a hospeda em sua casa. OK, foi mais que sorte! Hahaha. Os dois se apaixonam, mas ela não sabe por quanto tempo vai ficar e também não pode dizer a verdade. Quem, em 1813, acreditaria que ela viera do futuro?
Carina conseguiu fazer um livro com toque sobrenatural ficar bem verdadeiro. Todas as falas encaixam bem às situações. As vezes eu pensava “isso seria exatamente o que alguém falaria/faria em uma situação como essa”.
E sabe aqueles livros de romance que os principais quase nunca conseguem ficar juntos? Em Perdida não tem isso. O livro é narrado pela própria personagem, então toda a vez que eu começava a pensar “Cadê o Ian?” (as vezes antes disso), ele aparecia!
E as notícias para os fans da Rissi são boas!  Perdida 2 já está a caminho! Ae!!! E para a nossa alegria, está previsto para 2015 o lançamento de Perdida – O Filme, como foi informado pela própria autora. \o/ Mais uma coisa que aguardarei ansiosa!

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Resenha - Elysium

Gênero: Ficção científica, Ação, Suspense.
Dirigido por: Neill Blomkamp 

Classificação: 16 anos.
Filme de estreia de Wagner Moura em Hollywood tem um elenco de peso: Matt Damon, Jodie Foster, Sharlto Copley e a também brasileira Alice Braga. Elysium é uma ficção científica distópica que se passa 140 anos no futuro. O planeta Terra virou um grande lixão e aqueles com maior poder aquisitivo fugiram para uma base espacial, que mais parece um condomínio de luxo.
Max (Matt Damon) é um ex ladrão de carros, que agora trabalha em uma fábrica. Em um acidente de trabalho é exposto a uma alta dosagem de radiação, que o sentencia a morrer em cinco dias. Com a ajuda de um amigo encontra Spider (Wagner Moura), bandido chefe de uma gangue, conhecido também por suas tentativas de enviar pessoas a Elysium. Spider implanta um tipo de armadura em seu corpo e promete ajudá-lo. Um ponto interessante do personagem principal é que ele não tem interesse em ser o heroi da história, seu principal foco é chegar a Elysium e se curar, ponto. Porém muita coisa acontece ao longo da história e muita coisa muda.
O filme, apesar de futurista, faz uma grande referência e crítica a organização atual da sociedade em que vivemos. Os detentores do poder ainda que muito próximos daqueles que precisam de ajuda, preferem ignorá-los; preferem fingir que não existe ninguém além do seu próprio grupo social. Exemplificado extremamente bem no filme.
Fiquei muito feliz com o papel importante do personagem do Wagner, que talentoso como é deu conta do recado com facilidade. Alice também arrasou como uma das personagens principais, já mais experiente com as superproduções americanas, não me fez esperar menos de sua interpretação. 
Se você ainda não viu o filme, confira o trailer aqui embaixo.




domingo, 29 de setembro de 2013

Resenha - A Ilha dos Dissidentes - Trilogia anômalos

 
Editora: Gutemberg
Autora: Barbara Morais
Páginas: 303
Adicione: SKOOB
Sinopse 

"SER LEVADA PARA uma cidade especial não estava nos planos de Sybil. Tudo o que ela mais queria era sair de Kali, zona paupérrima da guerra entre a União e o Império do Sol, e não precisar entrar para o exército. Mas ela nunca imaginou que pudesse ser um dos anômalos, um grupo especial de pessoas com mutações genéticas que os fazia ter habilidades sobre-humanas inacreditáveis. Como única sobrevivente de um naufrágio, ela agora irá se juntar a uma família adotiva na maior cidade de mutantes do continente e precisará se adaptar a uma nova realidade. E logo aprenderá que ser diferente pode ser ainda mais difícil que viver em um mundo em guerra."  

Minha primeira resenha de um livro brasileiro. Que emoção! Então vamos lá... Conheci o livro da Bárbara Morais através do blog Nem Um Pouco Épico onde ela e alguns amigos escrevem sobre diversas coisas. Logo que li a sinopse fiquei morrendo de vontade de ler. Eu amo esse gênero ficção/aventura/distopia! Além disso pessoas com dons especiais são a base do livro que eu estou escrevendo. o/
O livro conta a história de Sybil Varuna e é narrado pela própria personagem. Em Pandora ela faz novas amizades, enfim tem uma família e uma vida tranquila. Porém após ser convocada para uma missão do governo a vida da menina de 16 anos passa a ser uma loucura e a tranquilidade foge para bem longe. 
Tenho que confessar que eu esperava ação do início ao fim do livro. Mas como todo primeiro livro de uma sequência, o início é mais explicativo para situar e familiarizar o leitor a realidade daquela história. Porém a ação que não veio no início, aparece com tudo do meio para o final. Aviso logo, o livro não tem nenhum romance, entretanto algumas coisas indicam que nos próximos livros um casal importante irá se formar. E isso foi uma coisa que gostei bastante, o livro consegue te envolver sem ter romance. Outra coisa que eu adorei foi a capa minimalista e unissex. Linda! 
Tenho algumas suspeitas de quem é o pai verdadeiro da Sybil. Porém são só minhas especulações. Agora vou ficar esperando ansiosamente o próximo livro para sanar minhas dúvidas e curiosidades! 

Só mais uma coisa: PARABÉNS Bárbara!



sábado, 28 de setembro de 2013

Livro x Filme - O Lado Bom da Vida


O livro conta a vida de Pat Peoples, um divorciado com mais de 30 anos recém saído de uma instituição psiquiátrica - "o lugar ruim". Ele acredita fielmente em finais felizes e faz tudo o que pensa que agradaria Nikki, sua ex-esposa para poder se reconciliar com ela e enfim terminar o "tempo separados".

A história é narrada pelo próprio Pat, como um diário onde ele conta a vida dele ("o filme da minha vida"). Não lembra o que fez para ser internado, sempre surta quando ouve Kenny G tocar e seu pai se quer olha para ele. Em um jantar na casa do amigo Ronnie conhece a cunhada dele, Tiffany, que também tem problemas psiquiátricos. Com o tempo e insistência da mãe, do psiquiatra e da própria Tiff, tornam-se amigos. Ela acaba tendo um papel importante na recuperação de Pat. 

Com 8 indicações ao oscar e um vítória (melhor atriz), o filme com Bradley Cooper e Jennifer Lawrence  diverge do livro em vários aspectos. O pai de Pat tenta ter uma relação amigável com ele e é viciado em apostas. Não focam muito nos jogos de futebol americano, só o necessário, o que me agradou bastante porque não entendo nada sobre o esporte! Tiffany também age de uma maneira diferente, fala mais, se aproxima mais rápido de Pat. Mas a maior alteração que fizeram está na reação de Pat quando ele descobre o que Tiff fez (não vou escrever sobre o que ela fez porque é spoiler).

O lado bom do livro é poder acompanhar e perceber as situações inusitadas da vida de Pat através de seu ponto de vista diferente, um pouco perturbado e por isso divertido, sempre buscando o final feliz de tudo. Acho que o filme, apesar das diferenças, conseguiu capitar a essência do livro. E tenho que confessar que gostei mais da adaptação do cinema. rs 



Aqui em baixo está o trailer do filme.



Qual dos dois vocês gostaram mais?

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Por que criar um blog?

Já venho pensando em criar um blog há um tempo. Porém sou muito enrolada, esquecida e atrapalhada para me organizar e montar um blog sozinha. Então pesquisei um pouco falei com uns amigos e agora juntei uma pequena equipe para manter o blog em pé. 

Sou técnica de administração, estagiária e estou escrevendo um livro. Tenho 18 anos e sou carioca da gema mexxxmo. Divido meus pais com três irmãs mais novas - sim, somos quatros meninas. Estou no twitter @VecchiMariah também. 

Por enquanto é um blog teste, espero que dê certo. Au revoir!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...